Sistemas Metabólicos

Sistema Fosfogênico

O sistema fosfogênico trabalha à partir da quebra da molécula ATP. Esta molécula ATP chega a armazenar 7300 calorias por mol, sendo liberadas em 2 etapas. A primeira seria a transformação de ATP em ADP (adenosinamonofosfato). O sistema fosfogênico pode liberar energia para o músculo rapidamente em 3 segundos. Este sistema é muito utilizado por alunos de wushu (iniciantes), que tenham a necessidade de realizar seqüências básicas de wushu, de 4 a 6 movimentos, com maior velocidade e potência possível; menciona Casarino (2004).

Este sistema só pode ser utilizado junto com o sistema de liberação de energia da fosfocreatina. O fosfato de creatina possue um conjunto de fosfato de alta energia, tendo 10300 calorias por mol, permitindo a reconstituição de ATP, e assim, prolongando o período de utilização da força máxima em até 10 segundos de duração, tempo suficiente para a realização de seqüências curtas de movimento, de 10 a 15, também na máxima velocidade e potência, aplicadas em séries básicas de wushu, como por exemplo: tsu he, menciona Casarino (2004).

Desta forma, conclui-se que o sistema fosfogênico é utilizado em situações de grandes esforços musculares de curta duração e de potência máxima, afirma Casarino (2004).

Sistema glicogênico e ácido láctico

Este sistema se inicia quando o glicogênio é armazenado no músculo e se transforma em glicose através do processo de glicólise e finalmente se transforma em 2 mol de ATP. Sem parar, o processo continua com a intervenção do ácido pirúvico, que em conjunto com as mitocôndrias das células musculares e o oxigênio obtido, cria mais células de ATP; Casarino (2004).

Quando ocorre a falta de oxigênio, uma parte do ácido pirúvico se transforma em ácido láctico, o mesmo se acumula nas fibras musculares após sessões de treinamentos intensos, onde existe uma exigência ininterrupta do músculo por mais de 10 segundos, assim, o ácido láctico é eliminado no sangue. Uma alta produção de ácido láctico irá promover uma dor muscular e fadiga intensa por vários dias; (Casarino, 2004).

Sendo assim, o sistema energético glicogênico láctico pode proporcionar cerca de 1,6 minutos de atividade muscular máxima, que somados aos 10 segundos do sistema fosfogênico, superam o tempo necessário para a execução de uma rotina compulsória de wushu executada a máxima potência e com duração entre 1,2 à 1,5 minutos, cita Casarino (2004).

Sistema Aeróbio

O terceiro sistema energético utilizado pelos músculos é o sistema aeróbio. Este sistema tem a capacidade de gerar energia por tempo ilimitado ou até quando durar os nutrientes básicos do corpo, como as proteínas, aminoácidos, ácidos graxos e glicose, que são capazes de regenerar as moléculas de ATP.

Este sistema não é utilizado durante a execução das rotinas compulsórias de wushu, pois o mesmo é utilizado por atividades de longa duração, como os maratonistas, nadadores, ciclistas, etc. Os praticantes de wushu utilizam o sistema aeróbio para estimular os outros sistemas, e também como forma de eliminar o ácido láctico que fica acumulado nas fibras musculares após a realização de exercícios físicos intensos, cita Casarino (2004).